Maças do Amor do Playcenter: um TBT delicioso A quinta-feira chegou! E hoje é o dia do nosso tradicional #TBT

Escrito por

Que tal relembrar algum momento bacana que você passou em nossos Parques?

Na matéria de hoje vamos relembrar o sucesso de uma delícia que tem tudo a ver com diversão, as famosas: maçãs do amor! Elas ficaram muito conhecidas no Playcenter, Parque de Diversões que funcionou entre 1973 e 2012 na cidade de São Paulo.

Seja a tradicional caramelizada, naquele tom em vermelho clássico ou as cobertas por chocolate, aproveitar uma maça do amor era parada obrigatória para adoçar uma tarde de diversão de crianças, adultos e dos casais apaixonados.

Já que aqui é #tbt, vamos conhecer um pouco sobre a sua história?

Tudo começou bem antes do primeiro Parque do Grupo Playcenter, e também bem antes da família espanhola Farre patentear a maçã do amor aqui no Brasil em 1959, diz a lenda de que o senhor Kolb, um veterano de Newark (EUA), já havia produzido seu primeiro lote de maçãs carameladas em 1908 enquanto experimentava um novo melaço em sua loja de doces, ele mergulhou algumas maçãs junto ao caldeirão, e viu que as mesmas ficaram vistosas, vermelhas e brilhantes, então as colocou nas janelas para exibição.

Chamou tanta a atenção de quem passava pelo o local que ele vendeu todo seu primeiro lote por apenas 5 centavos cada e a partir deste dia, milhares eram vendidas anualmente. Logo, as maçãs carameladas já eram encontradas em diversas lojas de doces e acabou se tornando um sucesso também em parques de diversões e circos, se tornando um ícone até os dias atuais.

Voltando a sua história aqui no Brasil, os primeiros relatos são lá pelos os idos de 1954, em que a família espanhola Farre, especializada em doces, escolheram abrir um negocinho para vender a “invenção”.

Inspirados pelas frutas caramelizadas chinesas conhecidas como Tannghulu, como uva e abacaxi (que também tiveram no Playcenter), o senhor Ramon Farre Martinez, com 77 anos na época, teve a ideia de usar uma fruta que temos e muito no Brasil, a maçã e já o nome romântico quem deu foi o pai de Ramon, de forma nada romântica e no acaso, era tarde da noite, e o pai disse: “…termina logo esta Maçã do Amor e vamos dormir, que tô com sono!”. Dito e feito. Tamanho o sucesso, recebeu a devida patente em nome da família.

E no Playcenter foi um dos doces mais vendidos ao longo de sua história, principalmente a versão caramelizada e especialmente no dia 12 de Junho, dia dos Namorados, quando os casais apaixonados, eram (e ainda são por aí afora) presenteados entre si com a saborosa iguaria e o beijo de seu amor.

Para se ter uma ideia, eram consumidas por ano em torno de:

Maçã – 120.000 unidades p/ano

Pêra – 12.000 unidades p/ano

Morango – 144.000 unidades p/ano

Uva – 5.040 Kg/ano

Abacaxi – 288.000 unidades p/ano

Demais, né? Deu até água na boca!

Filipe Defacio
Marketeiro, social media e há mais de 25 anos entusiasta por parques de diversões, principalmente pela história do Grupo Playcenter.

Posts relacionados

Uma história chamada Playcenter

O ano era 1973 e naquela época a cidade de São Paulo era bem diferente da cidade que conhecemos nos dias de hoje. Era um dia qualquer, uma sexta-feira e os jornais mostravam...

LEIA MAIS

TBT: Monga – A Mulher Gorila do Playcenter

No início dos anos 70 o Grupo Playcenter inaugurou um Parque que ficou marcado na história da cidade de São Paulo e no coração de milhares de brasileiros, nascia naquela época o “Playcenter”,...

LEIA MAIS

Uma trajetória de sucesso no Play!

Na matéria de hoje nós vamos falar sobre a trajetória de uma colabora muito querida e que atualmente integra o time do Playland Osasco. Dona Sandra, como é conhecida por nós, tem uma...

LEIA MAIS

Deixe seu comentário

    Ir para o topo

    Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Clique em aceitar ou leia nossa

    política de privacidade.